ColunistaArquivo

Antes de Bolsonaro ( Marcos Pires)

Antes de Bolsonaro     Vou contar alguns fatos. Não que sejam de importância fundamental na história do Brasil, mas servem ao propósito de mostrar que nossos Presidentes aqui e acolá eram do balacobaco. E começo com a incrível e verdadeira história da proclamação da República. O Marechal Floriano era partidário da monarquia e respeitava

MARINGÁ, MARIA DO INGÁ, VEJA AQUI A HISTÓRIA E A LENDA (RAMALHO LEITE)

MARINGÁ, A HISTÓRIA E A LENDA Participava de um evento em Maceió e, durante o jantar oferecido às delegações de todo o Brasil, um trio musical, atendendo a pedidos, começou a executar músicas que lembravam cada um dos Estados ali representados. Quando chegou a vez do Paraná, o grupo puxou o fole, afinou o triangulo,

 Crônica a pedido de São Francisco (Damião Ramos Cavalcanti)

                   Crônica a pedido de São Francisco           Diz, proverbialmente, o imaginário popular que ninguém é rico, ao se contentar com o que tem. Ele quer sempre mais. Mesmo depois de adquirir fortuna, além das suas posses, sente-se como se estivesse no início da sua riqueza. Despreza os mealheiros

Imaginar diferente do imaginário corrente (Damião Ramos Cavalcanti)

  Tem se usado muito o binômio “racismo institucional”. Conjugação de duas palavras de peso. A primeira significa uma “tendência de pensamento” de quem não pensa; a segunda advém de instituição, o que significa organização social, administrativa, política, educacional ou religiosa, que nunca deveria institucionalizar qualquer tipo de preconceito… Embora de longa sobrevida, o racismo

Jupira. (Marcos Pires)

    .     Finalmente consegui comprar a bicicleta da minha infância. Num tempo em que bicicleta virou bike e pode custar até cem mil reais, comprei a minha Monark barra circular (vermelha, uma Ferrari) por novecentos reais. Modelo de luxo, porque já veio com descanso, campainha e espelho retrovisor redondo. Batizei-a Jupira. Mas isso

Histórias de um sobrado (Thomas Bruno Oliveira)

  Histórias de um sobrado   O sobrado do Brejo – (Pintura de Alessandro Silva) As primeiras casinhas construídas na Rua d’Areia remontam o século XIX, eram um pouco mais distantes da Rua da Matriz e da área mais central do pequeno burgo. Uma das mais pomposas foi construída por um tal Coronel Terto que

 A sinceridade na Páscoa ( Damião Ramos Cavalcanti )

                           Nos tempos de menino, espichando o assunto muito para trás, já havia o mês de abril e, logicamente, o 1º de abril, que ocorreu ontem, precisamente o primeiro dia depois do fim de março. Nós que nascemos nesse mês, estranhamos a escolha

Tentações jurídicas ( Marcos Pires )

    Chegando aos 40 anos de advocacia lembro bem que jamais imaginei-me advogado. Eu tinha a melhor profissão do mundo; era filho de rico. No entanto fui “despedido” quando meus pais perderam tudo, sem grana sequer para contratar um advogado. Tive que me fazer advogado no único intuito de defender minha família. Só que

O FUNDADOR DA REPÚBLICA ( Ramalho Leite)

O FUNDADOR DA REPÚBLICA Há quem diga que a República, entre nós, nunca foi proclamada como nos contaram na escola primária. O marechal Deodoro da Fonseca, tido e havido como comandante do golpe militar que derrubou Pedro II, teria, apenas, diante do fato consumado e anunciado pelo jornal de José do Patrocínio, aceito as circunstancias

Seu Régis ( Thomas Bruno Oliveira)

Seu Régis   Régis e esse cronista aqui em uma bela manhã de sábado arrodeado por jornais e revistas Sinceramente, não achava que as coisas poderiam piorar, mas aqui estamos um ano depois do estouro dessa pandemia com números alarmantes, três mil mortos ao dia no país, cem mil infecções em 24h. Só em nossa

         Ocupação a ocupados e desocupados (Damião Ramos Cavalcanti)

        Ocupação a ocupados e desocupados             A mudança de costumes ou de hábitos, repentina, incomoda, até aquilo que pouco tem vida. O trajeto da construção de um formigueiro segue forma e método, que, instintivamente, atribuem, a cada uma das milhares formigas, segundo suas categorias “sociais”, o devido caminho, certo e habitual, transportando grãos

Antecipando feriados (Marcos Pires)

Antecipando feriados     Quem conhece Aluzimar, o diretor administrativo do nosso escritório, sabe do seu zelo e constante preocupação com o pleno funcionamento daquela estrutura de trabalho. De natural é calmo, sorridente, simpático (apesar de torcer pelo Vasco, se é que vocês me entendem) mas muito reservado. Pois sucedeu que ele virou ao avesso

    Irritante indiferença à pandemia (  Damião Ramos Cavalcanti)

          Irritante indiferença à pandemia           Nada mais irritante do que a ostensiva e cínica indiferença à saúde coletiva, aconteça numa festa em casa, nas mesas de um bar, numa igreja ou num salão de um escondido cassino. Há de se levar a sério o noticiário de sermos o país mais doente

Ana e Augusto (II) ( Thomas Bruno Oliveira )

Ana e Augusto (II)   Beijo… (Veja) O beijo foi tão longo e bom que parecia um primeiro beijo juvenil. As pontas dos lábios foram mais exploradas, os olhares pareciam estacas fincando o desejo ainda mais profundamente um no outro. Ele levanta, ao som da radiola de ficha que tocava um lindo bolero. Delicadamente pega

De: [email protected]éu Para: [email protected] (Marcos Pires)

De: [email protected]éu Para: [email protected]     Marcelo, aqui no céu houve uma enorme satisfação com a sua nomeação para o Ministério da Saúde. Desnecessário dizer que seu pai e seu sogro, ambos excelentes médicos, só não foram aos céus de tanta alegria porque aqui já estão. Mas vamos ao que interessa, meu filho, porque sei

ARAGÃO, O ALMIRANTE  DO POVO (RAMALHO LEITE)

ARAGÃO, O ALMIRANTE  DO POVO Quando ele chegava à Paraíba, antes da implantação do regime de 64, era recebido com todas as honras. Carro oficial e ordenança à disposição. Lembro-me de tê-lo avistado na Festa das Neves, acompanhado de Waldir dos Santos Lima, então Chefe da Casa Civil de Pedro Gondim. Marta o apontou de

Ana e Augusto (I) ) Thomas Bruno Oliveira)

Ana e Augusto (I)   A bodega e o bodegueiro Sítio São João (BlogdoCasusa) Zé Maneco era um homem de posses, mas não era só isso. Agitador político e um líder de vasto território na zona rural, tinha seu escritório-observatório na sua sortida bodega que repousava à sombra de grandes cajueiros no caminho entre a

Um escândalo pra ninguém botar defeito. (Marcos Pires)

Um escândalo pra ninguém botar defeito.     Roberto Campos foi Ministro, Embaixador, Deputado Federal, Senador e muito importante nos governos brasileiros. Economista inteligentíssimo e desbocado era autor de frases como: “- Todo mundo sabe que o dinheiro do governo é gasto para sustentar Universidades ruins e grátis. Garante comícios das UNEs da vida, ótima

    Cabaceiras, de Antônio Juarez Farias (Damião Ramos Cavalcanti)

          Município bucólico, campesino, dado aos costumes rurícolas, e, para completar, de cenário natural, cheio de pedras, grandes e bonitas. Seria como a Reggio Calabria, do cinema italiano. Região também propícia às atividades pastoris caprinas, por isso, atinou Wills Leal ao incentivo da Festa do Bode Rei. Também coisa de Wills, compará-la à Hollywood americana, sugerindo um enorme outdoor ,

     Quando o medo é necessário (  Damião Ramos Cavalcanti )

                                                                            Quando o medo é necessário     A Vila, filme americano, de Night Shyamalan, rodado na Pensilvânia ( 2004), tem

UMA VISÃO DO PASSADO (Ramalho Leite)

UMA VISÃO DO PASSADO O político potiguar Joaquim Ignácio, já identificado no primeiro texto desta série, depois de se demorar na Capital da Parahyba tomou o trem e partiu para o interior do nosso estado. “Tibiry, Santa Rita, Engenho Central, Reis, Espirito Santo, Sapé, Cobé, Entroncamento”, enumera as paradas, mas engoliu Mari. Essa sequência de

 O maniqueísmo ataca a vacina ( Damião Ramos Cavalcanti)

                                   O maniqueísmo ataca a vacina              Prefiro um divino banquete ao pão que o diabo amassou… Essa é uma preferência, que em nada decorre do diabólico e radical dualismo de tudo, que tenta caracterizar tudo como sendo proveniente do

ASCENSÃO E QUEDA DE CAMILO DE HOLANDA (Ramalho Leite)

ASCENSÃO E QUEDA DE CAMILO DE HOLANDA RAMALHO LEITE Na primeira República, após a vitória de 1915 que lhe deu a chefia política do  Estado, Epitácio Pessoa indicou Francisco Camilo de Holanda  para mandatário da Parahyba.  Sua escolha não foi das mais pacíficas. Encontrou barreira no irmão de Epitácio, coronel Antonio Pessoa, que o detestava.

Era desse jeito (Thomas Bruno Oliveira)

  Era desse jeito Para um amigo caririzeiro. Bodega de Seu Aluízio, funciona desde a década de 1940 (Camalaú-PB) Bem escorado na quina do balcão da bodega, era quase onze. O céu não tinha uma nuvem e o calor que animara já era enfadonho. Ali, arrodeado de secos e molhados e de gente boa, escutei

Covid-19: aperte os cintos. Vem aí a rebordosa do carnaval… (POR Wellington Farias)

Covid-19: aperte os cintos. Vem aí a rebordosa do carnaval… Poucas vezes achei que o povo estava errado e os governos estavam certos. Uma delas está sendo agora, nesta maldita fase de uma pandemia que pôs o planeta em xeque. As pessoas têm errado demasiada e irresponsavelmente. Não se convencem de que há um vírus