Lava Jato revela quem é a promotora que faz os corruptos tremerem no Brasil

Lava Jato revela quem é a promotora que faz os corruptos tremerem no Brasil

Promotora Fabiana Schneider tem se destacado substancialmente no combate à corrupção no Brasil, além do reconhecimento de suas decisões no exterior.
Uma das mais destacadas expoentes do combate à #Corrupção no Brasil e uma das mais atuantes integrantes da força-tarefa de investigação da Operação Lava Jato, cujos trabalhos desenvolvidos estão sendo direcionados, a partir de Curitiba e do Rio de Janeiro, a promotora Fabiana Schneider causa pavor aos corruptos, tanto do meio empresarial quanto do cenário político no Brasil. Vale ressaltar que muitas autoridades possuem o chamado foro privilegiado no Brasil, ou seja, são detentores de mandatos e acabam sendo julgados quando há a ocorrência de crimes relacionados à corrupção por meio da mais alta Corte de Justiça do país, o Supremo Tribunal Federal (STF).

A promotora Fabiana Schneider, membro da força-tarefa de investigação do Ministério Público Federal, se expressou, de modo contundente, a respeito da corrupção que permeia a realidade política do país, inclusive com reflexos no próprio meio ambiente. A promotora foi enfática ao afirmar que a corrupção seria, na verdade, uma distorção inserida dentro da cultura brasileira, o que acaba revelando dramaticamente o modo com que as pessoas se relacionam com o próprio meio e o meio ambiente.

 

A promotora Fabiana Schneider é uma das 20 integrantes do Ministério Público Federal que fazem parte da força-tarefa de investigação da Lava Jato. As ações da operação são julgadas em primeira instância no Paraná pelo juiz Sérgio Moro, a partir da 13º Vara Criminal da Justiça Federal de Curitiba.

A Lava Jato é considerada a maior operação de combate à corrupção na história contemporânea do país e é uma das maiores operações já desencadeadas em todo o mundo.

 

Símbolo de combate à corrupção na Lava Jato
Fabiana Schneider se destaca ainda em relação a um trabalho árduo desempenhado para que corruptos realmente paguem pelos seus crimes. A promotora, através de declarações e depoimentos, faz um paralelo da atual conjuntura política com o tempos passados, durante períodos em que o país foi alvo de intensa colonização. Fabiana afirma que o desmatamento que havia se iniciado há cerca de 500 anos atrás, através da colonização, é uma outra forma de corrupção.

 

A integrante da força-tarefa da Lava Jato disse ainda que a corrupção está disseminada na própria sociedade, além de políticos, poderosos e aqueles detêm poder econômico e a corrupção no próprio meio ambiente. Um dos principais fatores que explicam o amor da promotora pela natureza, em especial pela Amazônia, vem de suas origens, já que é nascida no estado de Rondônia, neta de italianos, japoneses e alemães.

 

Um outro tema bastante espinhoso e retratado por Fabiana é a descoberta da corrupção nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, como uma plataforma para que se pudesse cometer outros delitos. Ela se comprometeu por um ano com a Lava Jato e o trabalho desenvolvido no Rio de Janeiro.

Comentários

  1. Por Roberto Justino

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *