Empresário paraibano é denunciado na “Zelotes” com Lula

A denúncia é um desdobramento da chamada Operação Zelotes, segundo a qual o ex-presidente Lula editou Medida Provisória para favorecer empresas do setor automotivo, e em troca garantiu R$ 6 milhões para campanhas eleitorais de candidatos do Partido dos Trabalhadores.

Carlos Alberto, que é médico e que nos anos 90 tentou ingressar na política-partidária na Paraíba, tornou-se conhecido como o maior revendedor Ford da América Latina. Com raízes em Campina Grande, ele se aventurou pelo ramo automobilístico adquirindo a Vepel e, em pouco tempo, ganhou notoriedade como fenômeno de vendas.

A sua habilidade comercial levou a própria Ford a propor que ele se estabelecesse em centros maiores – e foi o que fez, dando a largada em Recife e posteriormente fixando-se em São Paulo, onde ergueu um verdadeiro conglomerado no ramo automotivo. Num depoimento que chegou a dar à extinta revista “A Carta”, de João Pessoa, Carlos Alberto Andrade de Oliveira disse que procurou não esnobar a condição de ter sido eleito pela Ford como o maior dos seus revendedores e lembrou que essa postura facilitou relações de respeito e amizade com concorrentes.

Desde a década de 80, Carlos Alberto Andrade de Oliveira foi assediado por líderes paraibanos a ingressar na política. O ex-governador Wilson Braga, o ex-senador Humberto Lucena e o ex-governador Tarcísio Burity fizeram gestões para que ele concorresse ao Senado, ora ao posto titular, ora a uma vaga de suplente.

“Entrar ou não na política não é fundamental para mim. Não vou perder o sono se isto não acontecer, mas gostaria de poder trabalhar pelo meu Estado. Acho que todo homem deve ter este interesse”, explicou melhor. As investidas para que Carlos Alberto de Oliveira Andrade ingressasse na política pela Paraíba não foram bem-sucedidas. Na última delas, ele pegou o avião em João Pessoa, frustrado, e foi se isolar na Ilha de Comandatuba, na Bahia. Carlos Alberto havia ficado desapontado com líderes peemedebistas que comandavam o partido no Estado e que não viabilizaram condições concretas para que ele ingressasse na disputa política.

Leia Também:   Wilson Filho consegue reabertura de agências do Banco do Brasil

Mesmo assim, já de volta a São Paulo, passou uma esponja em acontecimentos desagradáveis e deu declarações afiançando que não tinha atritos com políticos paraibanos. Na prática, chegou a se desentender publicamente com o ex-senador Marcondes Gadelha, mas depois fizeram as pazes.

O envolvimento de Carlos Alberto na Operação Zelotes, conforme publicizado ontem pela imprensa nacional, mostra que ele continua atuando nos bastidores junto a líderes influentes, como foi o caso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, com quem foi relacionado em processo que tramita.

Comentários

  1. Por RAMIRO

  2. Por RAMIRO