Para bancada do Turismo no Congresso, futuro ministro ser do PSL é trunfo

Governo da Paraiba

Para bancada do Turismo no Congresso, futuro ministro ser do PSL é trunfo

Rafael Neves
Especial para o Congresso em Foco

A frente parlamentar do Turismo no Congresso comemorou a indicação do deputado Marcelo Álvaro Antônio (PSL-MG) para o ministério do Turismo, anunciada ontem (terça, 27) pelo futuro ministro-chefe da Casa Civil, deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS). O líder da bancada do turismo, deputado Herculano Passos (PSD-SP), espera que o selo da legenda facilite o andamento de pastas do setor.

“Ele tem uma proximidade boa com o presidente”, diz Passos.

A indicação do novo ministro foi feita pela bancada (que hoje tem, segundo o líder, 230 congressistas, entre deputados e senadores) em conjunto com o “trade” de turismo, que reúne representantes de hotéis, restaurantes, companhias aéreas, agências de viagem e navios, entre outros. Os empresários, segundo Passos, temiam que a pasta fosse extinta no governo Bolsonaro.

“O trade estava apreensivo com essa possibilidade. Então, a confirmação do presidente de manter o ministério forte, independente, nos anima bastante”, afirmou. Segundo o parlamentar, as demandas mais urgentes da área são a atualização da Lei Geral do Turismo (mudanças na legislação de 2008), a abertura total das companhias aéreas ao capital estrangeiro e a transformação da Embratur em agência.

Marcelo Álvaro Antônio é apenas o segundo nome do PSL, partido de Bolsonaro, a compor a futura Esplanada. O outro é o advogado Gustavo Bebianno, um dos coordenadores da campanha eleitoral, que chefiará a Secretaria-geral da Presidência, que tem status de ministério.

O parlamentar foi um dos três futuros ministros anunciados ontem pela transição. Os outros dois foram Gustavo Canuto (Desenvolvimento Regional) e Osmar Terra (Cidadania).

Perfil

Será o segundo mandato de Marcelo Álvaro Antônio. O parlamentar foi o deputado mais votado de Minas Gerais nas últimas eleições, com apoio de mais de 230 mil eleitores. Aos 44 anos, o congressista nasceu em Belo Horizonte e se chama Marcelo Henrique Teixeira Dias – Álvaro Antônio é o nome do pai dele, que também foi deputado federal.

Dos 25 projetos de lei que ele informa ter proposto em seu site pessoal, nenhum é ligado à área de turismo.

O futuro ministro do Turismo começou a carreira política em 2012, quando se elegeu vereador de Belo Horizonte, e em 2014 conquistou seu primeiro mandato na Câmara.