MARCOS TAVARES EM : A RES PUBLICA
  • Post author:
  • Post category:Sem categoria

A RES PÚBLICA

Um Estado se torna republicano na medida em que todos os seus cidadãos – sem níveis de exceção – estão submetidos às mesmas Leis e as mesmas regras. Quebrar essas leis para privilegiar quem quer que seja é um caminho facilitador que acaba por abrir a porta para transgressões bem maiores porque o espírito da Lei é único para todos os cidadãos. Infelizmente vemos pouco disso no Brasil e aqui, cargo, posto ou condição social vale, como passaporte para que as normas sejam desobedecidas sem que isso cause constrangimento ou gere problemas.
O caso dos passaportes diplomáticos concedidos aos filhos do ex-presidente Lula é uma prova flagrante disso. Diz a lei que passaportes diplomáticos são para diplomatas, autoridades, militares em missões no exterior e para familiares de autoridades no exercício da função até 24 anos. Lula nem está mais no exercício da função e seus dois príncipes herdeiros estão acima da idade limite. Logo a concessão desse tipo de documento é ilegal e pesa na balança contra nossa tentativa de um país republicano.
Há quem diga que o dano é pequeno como realmente é, mas é uma quebra da lei   e  e quando se quebra a Lei menor a Lei maior pode igualmente ser quebrada. Os meninos de Lula deveriam ter passaportes iguais ao seu, ao meu e ao de todos os cidadãos desse país. De férias, Lula repousa com a esposa num quartel do Exército. É coisa sem importância dirão. Pode ser, mas é ilegal. Fora da Presidência Lula, como qualquer outro brasileiro, não tem direito a hospedagem em quartéis e já deve ter amealhado dinheiro bastante para pagar seus próprios hotéis.
E assim vamos, do pequeno delito até o mais grave sempre com a conivência de autoridades e os olhos fechados do povo. A rigor, Lula não precisava dessa hospedagem, nem seus filhos desses passaportes. Foi somente a ocasião, o poder que proporcionaram esse ilícito que enfeia Lula e enfeia ainda mais nosso governo sempre permissivo com os mais fortes e castrista com os fracos, exatamente duas coisas que não combinam com um regime republicano.

Choque
O secretário Walter Aguiar anuncia um “choque de gestão” semelhante ao que foi implementado por Aécio Neves quando governador das Minas Gerais.
Seria uma reforma administrativa total voltada para o enxugamento de pessoal, melhor uso dos recursos informáticos e maior eficiência no atendimento ao público.
Pode desagradar alguns, mas servir o cidadão é a tarefa primeira e a razão de ser do Estrado.Portanto…

Nacional
Deu no jornal Estado de São Paulo, um dos maiores da grande imprensa nacional: a Paraíba e Rio Grande do Norte são os estado onde os novos governadores encontraram a pior situação econômica.
Logo isso invalida a tese de que as denúncias contra o Maranhão III teriam fundo político. Foi realmente uma época de desatino total da Paraíba onde recursos públicos foram malversados como política de governo.

Respeito

O Estado precisa impedir que jornalistas submetam os presos das delegacias a vexames e gozações públicas como forma de conseguir audiência.
Ao ser preso ou detido o cidadão passa a tutela do Estado que não pode nem deve permitir esse tipo de violência e achincalhe que degrada o ser      humano.

Teste
Bandidos continuam sondando a disposição das novas autoridades com ataques a bancos no interior da Paraíba.
A quadrilha que agia livremente na administração passada pode ter uma surpresa desagradável.

Manobra
O major Fábio continua                   tentando desestabilizar a segurança programando manifestações dos policiais.
Ele não está absolutamente preocupado com os salários pagos à corporação. Pretende,              exclusivamente, baldear a água para colher votos na próxima campanha.

Legalidade
Não entendi porque o vereador maranhista Fernando Milanez coloca sua banca de advogados ao dispor dos comissionados demitidos.
Cargo de confiança – como bem diz o nome – é da confiança restrita de cada Governo, e não existe ilegalidade na sua mudança.

Venda
É filosofia do atual governo que a PBTur se desfaça dos hotéis sob sua responsabilidade.
Nada mais acertado. O Estado não existe para ser hoteleiro que deve ser uma iniciativa privada.

Aconchego
Deputados do PMDB se                aproximam lentamente dos jardins do Palácio daRedenção.
É que a vida na oposição pode ser boa para a oratória, mas é ruim para o bolso.

Limpeza
Sistemas de comunicação fazem uma faxina para adequar sua equipe a uma nova realidade política.
Gente que pontificava como dono da verdade recebeu o bilhete de despedida. Como dizem os árabes, o sol gira.

Reparo
A Cagepa informa que as quatro mil ordens de serviços que serão atendidas não se referem todas a ligações de água.
Instalação de hidrômetros, revisão na instalação e outros   serviços também aguardavam a providência.

1 – Diferenças – O otimista inventa o avião. O pessimista o pára-quedas.

2 – Extremos – Pessoas que vivem de máximas pensam o mínimo.

3 – Encontros – A religião tem dois grandes problemas. Você encontrar Deus, depois Deus lhe encontrar.

Comente esta postagem