CHICO PINTO EM : A via Crucis de Cícero
  • Post author:
  • Post category:Sem categoria

Confirmado o que se prenuncia na cena política da capital, para este segundo turno, o senador Cícero Lucena, do PSDB, enfrentará uma das eleições mais difíceis de todas aquelas já disputou. Como homem experiente ele sabe muito bem que a contenda vai ser dura e terá que trabalhar  mais do que o suficiente para ganhar a eleição.

Mas, como bem sintetizam os mineiros “eleição é como mineração, só se sabe do resultado depois da apuração”. Diante dessa máxima cabe a senador tucano agir com bastante estratégia, sabedoria, mensurar a capacidade eleitoral do seu antagonista e correr em busca do apoio da população, que é quem realmente decide a parada.

Matematicamente, é bom que se diga que tudo conspira contra as pretensões de Cícero. Apenas um exemplo: se todos os eleitores que votaram em Zé Maranhão decidirem a votar no candidato do PSDB, ele suplantaria o candidato do PT, Luciano Cartaxo, em apenas 2.990 votos. Mas, diante das circunstâncias, já se percebe que isso será impossível, pois, mesmo liberando o partido, nota-se que a imensa maioria das lideranças do PMDB tende a apoiar o PT.

Cícero também terá imensa dificuldade para angariar votos e apoio junto aqueles que votaram na candidata do PSB, Estela Bezerra,  por se tratar de um eleitorado mais à esquerda e com mais afinidade com os petistas. É um total de 74.498 votos (20.08%) que estão em plena meditação e do decorrer destas duas semanas serão os responsáveis pela escolha do novo prefeito da capital.

Já o candidato do PT, Luciano Cartaxo, vem se beneficiando de uma conjunção de fatores para consolidar sua eleição. Uma delas é a votação obtida no primeiro turno que foi de 142.158 votos, ou seja, 38,32% dos votos válidos, contra 75.170 votos obtidos por Cícero Lucena, o que corresponde a 20,27%. Isso implica em uma maioria pró Luciano de 66.980 votos, quase a votação dada a Zé Maranhão que foi de 69.978 votos (18,87%).

Outro fator preponderante em favor de Luciano Cartaxo,  é a continuidade do apoio do prefeito Luciano Agra, do empenho do PT nacional, tendo à frete o ex-presidente Lula, o aval da presidente Dilma, além de uma boa estrutura partidária. Sem esquecer que hoje ele já conta com o apoio da maioria dos vereadores eleitos e de vários partidos que no primeiro turno estiveram com outros candidatos.

Para se manter firme na vida política paraibana, o senador Cícero Lucena, não pode por hipótese alguma, sofrer uma derrota humilhante tal qual ocorreu nas duas últimas eleições na capital, quando o atual governador Ricardo Coutinho, em 2004, obteve 215.649 votos (64,45%) derrotando o hoje deputado federal Rui Carneiro, que obteve 103.108 votos (30,82%) o que deu uma diferença de 112.541 votos.

Já em 2008, o mesmo Ricardo Coutinho, suplantou o candidato João Gonçalves com uma esmagadora diferença de 180.334 votos. Naquela eleição Ricardo obteve 262.041 votos (73.85%) contra apenas 81.707 dados a PSDB, ou seja, 23,03%).

Mas, é importante que fique claro, que cada eleição tem as suas características, e tudo pode acontecer inclusive surpresas inesperadas!