ARREPENDIDO: Ricardo Coutinho desabafa e afirma que Luciano Agra foi o maior ‘abacaxi’ que deixou na Prefeitura
  • Post author:
  • Post category:Sem categoria

O governador Ricardo Coutinho (PSB) assumiu nesta quarta-feira (22) que se arrepende de ter escolhido o prefeito de João Pessoa, Luciano Agra (sem partido), com vice na sua chapa em 2008 e detonou seu ex-aliado, a quem chamou de “traidor” e “covarde”.

Ao ser indagado pelo repórter Albemar Santos, da 98 FM, sobre declarações do prefeito afirmando que ainda estaria descascando “abacaxis” deixadas pela gestão “Ricardo Coutinho”, o governador rebateu: “Talvez o maior abacaxi que eu tenha realmente deixado foi ter feito uma péssima escolha para compor uma chapa comigo”, afirmou o socialista que acrescentou.

Visivelmente abalado com os ataques de Agra (que se intensificaram nos últimos dias), Ricardo não escondeu sua mágoa com a “ingratidão” do antigo parceiro do gestão.

“Eu deixei um abacaxi grande pra ele: 280 milhões e 137 obras que só precisavam tocar para frente, porque o dinheiro estava em caixa. Esse foi o doce abacaxi que deixei”, declarou.

Sobre as frequentes queixas de Agra que teria sido forçado a abdicar do direito de disputar a reeleição, Ricardo Coutinho insistiu que foi o próprio prefeito quem optou por sair da briga, “por não ter coragem de enfrentar o processo”.

“Todo mundo sabe que ele que renunciou; não teve coragem de enfrentar o processo, aí e depois quis inviabilizar a candidatura do partido. Passou seis meses fazendo isso. Sem ter coragem pública de assumir uma postura indo e voltando”, disse o governador.

Mais adiante, Ricardo Coutinho continuou a destilar sua mágoa. Depois de taxar de ‘covarde’ o prefeito, imputou a ele também a pecha de “traidor”.

“Esse papo de estar no guia contando mentira, ninguém acredita não. As pessoas sabem quais foram as posturas aqui dentro e qual foi o grau da falta de respeito com os companheiros; qual foi o grau de ‘traição’ que essa cidade presenciou. Isso não se apaga fácil, só porque alguém diz que queria ser prefeito e ninguém deixou”, declarou, completando: “Se não fosse o PSB ele nunca chegaria nem a ser vereador de João Pessoa”.

MaisPB