MAS OLHA SÓ QUEM TÁ NO TUMULTO : Sessão do Trauma tem confronto com seguranças e nota da Assembleia contra vandalismo e violência Publicado em 07/05/2014 às 19:03h

Governo da Paraiba

Tumulto na Assembleia

Tumulto na Assembleia02

O vereador Renato Martins (PSB) e Ronaldo Barbosa, presidente municipal do PSB, foram alguns dos personagens que tentaram entrar na Assembleia, na tarde desta quarta (dia 7), para acompanhar a sessão especial com o secretário Waldson de Sousa (Saúde). Waldson foi convocado pra explicar as várias irregularidades apontadas pelo TCE no Hospital de Trauma.

Houve tumulto, durante confronto com manifestantes, o que resultou em agressão a seguranças da Assembleia e uma porta lateral quebrada. A Mesa Diretora da Casa explicou que, em decorrência das reformas atualmente realizadas no prédio, foi limitado o número de assistentes nas suas dependências, conforme nota distribuída à Imprensa no final da tarde.

Na nota, a Assembleia lamenta “a violência de aparentes claques organizadas mais preocupadas em cumprir um contrato de exercer um papel, mesmo ao preço da utilização da truculência às pessoas, delapidação do patrimônio publico e desrespeito à convivência democrática”.

Sessão – Durante a sessão, o deputado Aníbal Marcolino afirmou que “pessoas envolvidas na administração da empresa são proprietárias de outra empresa, de nome Toesa Service, que presta serviço ao HETSHL e esteve envolvida em esquema de fraudes, aplicados na Secretaria Municipal de Saúde de Natal (RN), que culminou com a deflagração da Operação Assepsia, em junho de 2012”.

Já o deputado Anísio Maia denunciou a existência de empresas terceirizadas fantasmas, que teriam sido contratadas pela Cruz Vermelha, “entre elas, a B&l Soluções Corporativas, que recebeu R$ 975.512,25, em 2013, para a prestação de serviços de consultoria operacional e administrativa voltada para gestão hospitalar, quando o hospital já possuía profissionais remunerados para executar o mesmo trabalho”.

Nota da Assembleia – Confira nota na íntegra:

A Mesa Diretora da Assembleia Legislativa da Paraíba vem através desta nota esclarecer, que em decorrência da reforma que vem sendo realizada em suas dependências, não pode liberar a entrada de todas as pessoas que vieram participar da sessão especial nesta quarta-feira (7) com a presença do secretário estadual de Saúde, Waldson Sousa.

Vale destacar que foi realizada pela Casa de Epitácio Pessoa uma sessão especial, onde a presença é restrita, pois não se trata de audiência pública. Ficou acordado, antes do inicio da sessão, que seria dado acesso às entidades representativas, deputados, imprensa e depois a entrada das demais pessoas seria liberada até o preenchimento das vagas existentes em plenário.

Em decorrência do tumulto que foi gerado, que resultou em seguranças agredidos e o portão lateral quebrado, se fez necessário restringir o acesso. A Assembleia Legislativa da Paraíba é a Casa do Povo, mas tem que zelar pela segurança das pessoas que frequentam as suas dependências.

Lamentamos, por fim, a violência de aparentes claques organizadas mais preocupadas em cumprir um contrato de exercer um papel, mesmo ao preço da utilização da truculência às pessoas, delapidação do patrimônio publico e desrespeito à convivência democrática.