Lula livre: Ricardo afirma que Sergio Moro afronta Justiça e sugere punição ao magistrado de Curitiba

Lula livre: Ricardo afirma que Sergio Moro afronta Justiça e sugere punição ao magistrado de Curitiba

O governador da Paraíba, Ricardo Vieira Coutinho (PSB), declarou, em entrevista à Revista Nordeste, que analisou a decisão do desembargador Rogério Favreto, do TRF-4, mandando soltar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, como “justiça ainda que tardia”.

Ele, contudo, reagiu com críticas à interferência do juiz federal Sergio Moro de se insurgir contra a decisão do desembargador:

“O impressionante é um juiz ousar descumprir uma decisão superior de um desembargador. Se todos somos iguais perante a lei, a decisão da Justiça é para ser cumprida, gostando-se ou não”, destacou Ricardo. “A postura de Moro é mais uma afronta a Justiça e precisaria ser punido exemplarmente”, arrematou o governador paraibano.

Saiba mais

Na manhã deste domingo (8), o desembargador Rogério Favreto, do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), em Porto Alegre, concedeu um habeas corpus para o ex-presidente Lula, que está preso em Curitiba. A decisão deveria ser cumprida imediatamente.

Em seguida, o juiz Sergio Moro, da 13ª Vara da Justiça Federal em Curitiba, afirmou que o desembargador Rogério Favreto não poderia mandar soltar Lula. “O desembargador federal plantonista, com todo respeito, é autoridade absolutamente incompetente para sobrepor-se à decisão do Colegiado da 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) e ainda do Plenário do Supremo Tribunal Federal”, disse Moro.

Nesta tarde, o desembargador federal João Pedro Gebran Neto, relator dos processos da Lava Jato em segunda instância, determinou que não seja cumprida a decisão de Rogério Favreto, mantendo o ex-presidente Lula preso.