Entenda os interesses políticos em jogo na votação do parecer da Previdência

Entenda os interesses políticos em jogo na votação do parecer da Previdência

Regras para servidores, transição mais branda para policiais e desoneração de ruralistas são alvo de discórdia e chamam atenção no texto da reforma

A votação do parecer da reforma da Previdência na Comissão Especial da Câmara que analisa o tema, que estava prevista para esta quarta-feira (3), deve ser adiada .

Deputado Samuel Moreira (PSDB-SP)
Pablo Valadares/Câmara dos Deputados – 26.6.19

Deputado Samuel Moreira (PSDB-SP) apresentou mudanças no texto da reforma da Previdência na terça-feira (2)

Para o presidente da comissão especial da reforma da Previdência, deputado Marcelo Ramos (PL-AM), a indefinição em relação à votação da proposta paralisa o país. Entenda os interesses políticos que estão em jogo.

Governadores

Alguns governadores da oposição não querem contrariar suas legendas para virar votos favoráveis à reforma. Pernambuco, Maranhão e Bahia têm resistido a tentar convencer suas bancadas a votar a favor do projeto.

Já governadores que estão com as contas estaduais desequilibradas, como o Rio, têm pedido para que os estados sejam incluídos na reforma da Previdência . Assim, querem evitar o desgaste político de ter de aprovar a mudança nas regras dos servidores em suas assembleias legislativas.

Deputados federais

Não querem arcar com o ônus político de alterar as regras de aposentadoria dos servidores estaduais e municipais e, depois, serem cobrados por isso junto a suas bases eleitorais. Em 2020, haverá eleições municipais.

Após a exclusão dos regimes estaduais da reforma da Previdência, os parlamentares agora não querem sequer que regras acessórias, como a que prevê aumento da alíquota de contribuição previdenciária dos servidores de estados e municípios em caso de rombos em seus sistemas de aposentadoria, estejam dentro do texto a ser votado.

Deputados PSL

Os parlamentares do partido do presidente Jair Bolsonaro querem regras mais brandas para a transição na aposentadoria dos policiais federais e policiais rodoviários federais. O deputado Major Vitor Hugo (PSL-GO), líder do governo na Câmara, alega que o impacto da medida seria pequeno, de R$ 4 bilhões em dez anos.

Ruralistas

O parecer do relator da reforma na Comissão Especial, Samuel Moreira (PSDB-SP) manteve o fim das desonerações concedidas a exportadores rurais, o que desagradou a bancada ruralista.

Fonte: Economia – iG /vavadaluz