Setembro Amarelo: Complexo Juliano Moreira promove Simpósio de Prevenção ao Suicídio

Foi aberto, nesta quarta-feira (14), o I Simpósio de Prevenção ao Suicídio, promovido pelo Complexo Psiquiátrico Juliano Moreira, da Secretaria de Estado da Saúde (SES). O evento faz parte da programação da SES do Setembro Amarelo, campanha de alerta e prevenção ao suicídio. A programação do Simpósio ocorre até esta quinta-feira (15), pela manhã e à tarde, no auditório da Escola de Saúde Pública da Paraíba (ESP-PB), na Capital.

 

A abertura contou com a presença da secretária de Estado da Saúde, Renata Nóbrega. “Saúde Mental é uma pauta prioritária devido a urgência do tema. O isolamento social, na pandemia, aumentou muito o adoecimento mental e nós precisamos falar sobre isso e saber como lidar com este cenário. O cuidar deve estar presente com mais inclusão e mais políticas públicas”, observou.

 

A gerente Operacional de Atenção Psicossocial, da SES, Iaciara Alcântara, lembrou que o tema da campanha deste ano é: “Prevenção ao suicídio se faz com fortalecimento de políticas públicas”. “No Brasil, atualmente, mais de 30 milhões de pessoas passam fome. E são essas pessoas que utilizam os serviços. A fome é adoecedora e a população precisa ter acesso a esses serviços”, declarou.

 

O Simpósio tem como objetivo fomentar o estudo, discussão e pesquisa em torno do tema prevenção ao suicídio, capacitar e atualizar a equipe multiprofissional, bem como docentes e discentes que têm pactuação com a Rede Escola e estabelecer relação com a temática em questão.

 

“O Juliano Moreira não é só um hospital psiquiátrico. Ele também faz parte da Rede Escola que repassa conhecimento e novos saberes sobre este tema tão urgente e presente na nossa sociedade”, explicou a diretora-geral do Complexo Psiquiátrico Juliano Moreira, Andrezza Ribeiro.

 

Durante os dois dias do evento, serão apresentados temas como “suicídio e mídias digitais”, “orientação sexual, gênero, racismo e sua relação com o suicídio” e “saúde mental infanto-juvenil”.

 

Segundo a chefe do Núcleo de Ações Estratégicas do Complexo, a psicóloga, Ângela Sátiro, o suicídio é um problema de saúde pública, visto sua alta incidência. “Diante do fato do Juliano ser referência estadual em urgências e emergências psiquiátricas, faz-se necessário que os profissionais atuantes na Rede entendam o manejo a esse perfil de usuário”, alertou.