Pular para o conteúdo

Blog do Vavá da Luz

QUEM NÃO TEM DINHEIRO CONTA HISTORIA  : O DIA EM QUE VAVA DA LUZ FOI DELEGADO PELA SEGUNDA VEZ.

QUEM NÃO TEM DINHEIRO CONTA HISTORIA  : O DIA EM QUE VAVA DA LUZ FOI DELEGADO PELA SEGUNDA VEZ.

 

Não é plagiando Lula Gonzaga, mas a bem da verdade é que minha vida foi andar por esse PAÍS  pra ver se uma dia descansava feliz, guardando recordações como estou fazendo agora.

Pois muito bem, em uma dessas minhas andanças, o velho nômade aqui aportou em Salvador Bahia para alegria dos Soteropolitanos.

Quando migrei da Guanabara para Salvador trouxe comigo seis automóveis UNOS na cor branca duas portas da Fiat por ter certeza do mercado promissor do tal automóvel que à época era uma febre de procura.

Só que eu não sabia que BAIANO não comprava carro de cor branca e aí ainda hoje não sei dizer o porquê, se era preconceito racial ou se por entender que aquela era a cor dos taxis no momento.

Realmente não sei, só sei que penei muito para me desfazer das mercadorias tendo inclusive que vir a Paraiba para fazer negócios.

Bem , vendidos os autos e comprados outros,  instalei-me no Jardim dos Namorados, uma praia linda reservada aos casais apaixonados na orla marítima da terra de Rui.

Não precisa dizer que em pouco tempo fui expulso pela guarda Municipal por está  negociando em ambiente público sem a devida autorização.

Mas enquanto estive por lá conheci muitas pessoas legais inclusive dois cidadãos da Policia Civil de Belo Horizonte que sempre vinham a Salvador, compravam-me carros e voltavam para vende-los em BH.

Eu deveria saber que se tratava de duas OTORIDADES arbitrárias pois certa feita fui busca-los no aeroporto de Salvador e dentro do meu carro eles descarregaram os pentes de suas fabulosas pistolas na estrada do Bambuzal, gritando : Viva Vavá da Luz !!! Viva Vavá da Luz.

E eles insistiam muito para vez por outra , ao invés de eles virem, eu fosse levando os carros que eles queriam.

E depois de muita insistência dei de garra de um Opala Diplomata e zarpei para Belo Horizonte levando a encomenda pedida.

Pois muito bem, em lá chegando fui excepcionalmente recebido pelos dois que disputavam com quem eu deveria ficar inté que resolvi ficar em um hotel simples para acabar a disputa.

Recomendaram-me a todos do Hotel e marcaram para apanhar-me as 20 horas e que eu deveria estar de BLAZER pois iríamos para uma recepção em uma BOITE de luxo.

E pontualmente chegaram as 20 horas com um carro da Policia Civil de Belo Horizonte e me jogaram atrás da viatura, perguntado :  Taátudo Bem Doutor ? e  ligaram o Giroflex, a Sirene, e partiram a toda velocidade fazendo Zig zag pelo transito noturno e maluco de BH.

Finalmente, para meu sossego, pararam a viatura frente a um prédio de alguns andares, mas  dirigiram-se ao térreo e numa porta de madeira rústica , hermeticamente fechada,começaram a : Policia ! abram a porta ! é a policia , abram !!!

Após alguns gritos, armas em punhos, um rosto pálido apareceu na janelinha da vigília e timidamente abriu a porta. Eu que observava tudo atônito pude constatar que ali tratava-se de um cassino clandestino frequentado pela alta sociedade Belo Horizontina.

Eram mulheres e Homens bem vestidos com as mãos na cabeça, quando apareceu uma senhora que notadamente os conhecia e um deles prontamente justificou sua investida dizendo em voz alta : AGORA ESTAMOS SOB NOVO COMANDO, O NOVO DELEGADO QUE ACABA DE ASSUMIR , DR WALTER GOIS (Apontando para mim)NÃO DÁ MOLE E ELE QUER FECHAR TODAS ESSAS ESPELUNCAS DO ILEGAIS, NÃO É ASSIM DOUTOR ?

Confesso que acordei com aquela interrogativa surpresa  e gesticulei tipo lagartixa afirmando que sim quando eles insistiram : Fale alto Doutor, diga pra esses contraventores o que o senhor vai fazer…

A essas alturas a mulher que aparentava já os conhecer, chamou-os lá dentro, demoraram uns quinze infindáveis minutos e os dois voltaram e disseram vamos aqui DOUTOR, e  sem dizer nada voltamos pata o saloon quando um deles falou em bom som : BEM GENTE CONVERSAMOS COM DR WALTER E ELE FICOU CONVENCIDO DE QUE DEVE DÁ UMA CHANCE, NÃO SÓ Á CASA COMO TAMBÉM AOS SENHORES E SENHORAS POIS VÊ-SE TRATAR DE GENTE DE BEM E ELE NÃO QUER QUE PASSEM POR TAMANHO CONSTRANGIMENTO, DE FORMA QUE OS SENHORES E SENHORAS PODEM VOLTAR PARA SEUS LARES COM AS BENÇÃOS DE DEUS.

Antes de me perguntar por que ele botou DEUS naquele lugar ví a galera em fila para apertar minha mão e tome—lhes agradecimentos.

Concluindo, logo depois da saída levaram—me pra uma BOITE de verdade e em uma mesa de canto começaram a contabilidade do apurado daquela investida de sucesso.

Esse é pra mim,  esse pra tu, esse é pra tu, e fiquei de momento relutando dentro dos meus princípios morais e cristãos se deveria receber aquele dinheiro sujo e na dúvida de devo recebe-lo e não devo recebe-lo , RECEBI-ÔÔ e ainda questionei minha parte como delegado que deveria ser maior.

E assim termina minha segunda vez de delegado de policia, quem não conheceu a primeira click no link abaixo para conhecer

https://blogdovavadaluz.com/destaque/quem-nao-tem-dinheiro-cobnta-historia-o-dia-em-que-vava-da-luz-foi-delegado-de-pulica

vavadaluz