PAGÔTTO FICOU CAGÔTTA E PROIBIU LUIZ COUTO DE SER PADRE

Governo da Paraiba

download (77)

O deputado federal Luiz Couto (PT) foi novamente afastado da ordem  (da função de padre) pelo arcebispo da Paraíba, Dom Aldo Pagotto.

(Ele está impedido de realizar atividades próprias de um sacerdote, como celebrar missas)

A informação está na coluna do jornalista Laerte Cerqueira do Jornal da Paraíba. O motivo desta vez alegado pelo arcebispo Dom Aldo foi que o parlamentar e padre fez um discurso na tribuna da Câmara Federal em defesa da comunidade LGBT.

2009

No ano de 2009 o deputado Luiz Couto foi também afastado da ordem por defender uso de camisinha.

Reproduzo a Nota Oficial da Arquidiocese da Paraíba, conforme está disponível no Correio da Paraíba, jornal de João Pessoa:

Nota Oficial

O Arcebispo da Paraíba, Dom Aldo di Cillo Pagotto, suspendeu do uso de Ordem o padre Luiz Couto. Ele está impedido de realizar atividades próprias de um sacerdote, como celebrar missas. Abaixo seguem as explicações de Dom Aldo:

“Na edição do dia 25 de fevereiro de 2009, A/4, Política, o Jornal O Norte divulga: “Padre, deputado e adversário do celibato. Favorável ao uso do preservativo, Luiz Couto combate a intolerância e a discriminação a homossexuais, contrariando o Vaticano”.

Preposto à Arquidiocese da Paraíba, vejo-me na grave obrigação de suspender o referido sacerdote do uso de Ordem em nossa circunscrição eclesiástica, porquanto, por suas afirmações sumárias, e enquanto perdurem sem retratação explícita, provoca confusão entre os fiéis cristãos, e contraria “in noce” as orientações doutrinais, éticas e morais sustentadas pela Igreja Católica (Cf. Cânon 1317 CDC)”.

Ita, in fide muneribus,

Aldo di Cillo Pagotto,

Arcebispo Metropolitano da Paraíba