Enquanto a Secretaria de Turismo e desenvonvimento Econômico do Estado corre atrás de trazer cruzeiros de navios para a Paraíba, a Pedra do Ingá fica a “ver navios”!

Enquanto a Secretaria de Turismo e desenvolvimento Econômico do Estado corre atrás de trazer cruzeiros de navios para a Paraíba, a Pedra do Ingá fica a “ver navios”!

Parque Estadual Arqueológico das Itacoatiaras do Ingá encontra-se protegido como Patrimônio Cultural pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), desde maio de 1944, com inscrições no Livro de Tombo das Belas Artes e no Livro do Tombo Histórico, sendo o primeiro monumento de arte rupestre protegido no Brasil e o único reconhecido também pelo seu conteúdo artístico, além da importância histórica. Mas parece que ironicamente, passados 78 anos, o Parque ainda é marcado por uma série de incoerências que marcam a tentativa de salvaguarda de um espaço cuja história vem sendo ameaçada diante da iminente morosidade e do descaso com um patrimônio público de tão grande relevância para a Paraíba, para o Brasil e para o mundo!

Não existe uma gestão designada pelo o Governo do Estado, que é o proprietário do Parque, nem recursos destinados a administração e a manutenção do espaço, e a cada dia, o prédio se deteriora.

vavadaluz