Efraim acusa desembargador e juiz de cometerem crimes para viabilizar cassação de prefeito de Bananeiras

Governo da Paraiba

Efraim acusa desembargador e juiz de cometerem crimes para viabilizar cassação de prefeito de Bananeiras

Gravações e outros documentos supostamente comprovam envolvimento direto de magistrados do TRE-PB para beneficiar candidato derrotado

O deputado federal Efraim Filho (DEM) revelou, na noite desta terça-feira (28), durante discurso na Câmara Federal, que o membro substituto da Corte do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB), desembargador José Ricardo Porto, e o juiz da 14ª Zona Eleitoral, Jailson Sizue Suassuna conspiraram contra o prefeito eleito de Bananeiras, Douglas Lucena (PSB). De acordo com o deputado, os dois magistrados teriam cometido tráfico de influência, abuso de poder e perseguição politica ao cassar o mandato do prefeito daquela cidade.

“Suspeitas gravíssimas que já existiam de tráfico de influência, abuso de poder e perseguição como sendo os principais instrumentos utilizados pela oposição para vencer o processo eleitoral vieram à tona e as provas confirmam esse uso”, afirmou.

Efraim relatou que o candidato derrotado, Matheus Bezerra (PMDB), é genro do desembargador José Ricardo Porto e que, de acordo com uma gravação que já está em poder do corregedor do TRE-PB, Tercio Chaves de Moura, teria exercido pressão sobre o juiz Jailson Suassuna para conseguir o resultado da cassação. No áudio, que seria um diálogo entre Douglas e Jailson após a cassação, o juiz teria pontuado que temia estar sendo grampeado pelo desembargador, e orienta o prefeito eleito para que recorresse da sua própria sentença indicando os pontos mais frágeis para reformulá-la no tribunal. “É o peso da consciência de não ter tomado a decisão mais justa e prejudicado a imagem, a carreira e a família de um jovem gestor”, refletiu o deputado.

Ele ainda apontou que as informações em que teve acesso demonstram que há indícios graves de pressão política e o abuso de poder como principais instrumentos utilizados pela oposição para vencer o processo judicial. “A população de Bananeiras, a sociedade e a Justiça Paraibana tomarão conhecimento de um jogo sujo para que alguém assuma o poder a qualquer custo. Quando essas provas vierem à tona, o processo mudará de rumo e ficará comprovada a inocência do prefeito Douglas e seu vice Guga”, afirmou.