CNN Brasil demite em massa para economizar R$ 5 milhões e virar nova Jovem Pan em 2023

As demissões em massa na CNN Brasil nesta quinta-feira (1º) são uma medida para corte de custos e melhora de resultados que o canal de notícias deseja colocar em prática no ano que vem. A ideia é ter o melhor resultado em audiência com a menor quantidade possível de funcionários. A forma da operação lembrará bastante o que já está em prática na Jovem Pan.

 

Ao todo, pelo menos cem pessoas foram demitidas, entre contratados diretos e terceirizados. Segundo apurou o Notícias da TV, a CNN Brasil diminuiu a verba que repassa para a produtora Casablanca, responsável por contratar radialistas para funções técnicas. Foram dispensados editores de imagem, câmeras, auxiliares, entre outras funções.

 

Somando-se as dispensas de grandes salários de apresentadores e repórteres, além de outros cortes e do fechamento da sucursal do Rio de Janeiro, o objetivo é economizar ao menos R$ 5 milhões –apenas na parte operacional nos próximos meses–, o que irá aliviar a crise financeira da empresa.

 

O novo presidente do conselho da companhia, João Camargo, comandará os próximos passos das mudanças na CNN Brasil. O executivo é fundador da empresa Esfera Brasil, além de um dos donos da gestora de recursos 89 Investimentos –que atua em logística, incorporação e comunicação– e acionista das rádios Alpha FM, BandNews FM, Disney FM, Nativa FM e 89 FM.

 

O choque de gestão dado por ele nesta semana não é surpresa no mercado. Seu estilo de fazer contenção máxima de gastos para dar o melhor resultado possível já é conhecido. Foi assim, por exemplo, que ele tornou grande parte de suas rádios campeãs de audiência em seus segmentos.

 

Os cortes não acabaram. Mesmo com mais de uma centena de profissionais demitidos, a CNN Brasil pode dispensar mais funcionários na semana que vem. A área conhecida como “soft news”, com programas mais voltados a variedades, ainda será afetada profundamente com a saída de apresentadores.

 

Na programação em si, mudanças já foram vistas nesta quinta. Expresso CNN, Agora CNN e Jornal da CNN –este último comandado por Monalisa Perrone, uma de suas principais estrelas– foram extintos. A CNN Arena foi efetivada como um programa fixo e terá o comentarista Felipe Moura Brasil como apresentador daqui para frente, emulando o estilo de Os Pingos nos Is, da Jovem Pan. O Primetime vai disputar ibope com o Em Pauta, da GloboNews.

 

A Jovem Pan, inclusive, é a grande inspiração para a nova fase. Assim como sua concorrente, a CNN Brasil deseja fazer o melhor resultado possível com o menor custo. O foco estará na opinião e na repercussão de grandes acontecimento, com discussão e mais tempero nas polêmicas.

 

Hoje a CNN Brasil tem resultados de audiência muito ruins. No horário da manhã, o Novo Dia chega a perder das 6h às 9h para a BandNews. No fim de tarde, o canal de notícias não consegue fazer frente à briga entre o Edição das 18h com César Tralli, da GloboNews, e Os Pingos nos Is, da Jovem Pan.

 

Mas o futuro do canal é nebuloso. O Sindicato dos Jornalistas de São Paulo está em busca de informações sobre as demissões e diz que não foi notificado das medidas –o que é obrigatório por lei quando há cortes em massa. Para o órgão, a CNN se colocou à disposição para prestar esclarecimentos, mas não sabia dizer quantos mandou embora.

 

Veja o comunicado sobre os cortes divulgado internamente pela CNN:

 

“Em linha com a estratégia de fortalecimento do jornalismo, a coordenação da cobertura será concentrada em São Paulo e Brasília, duas praças que ganham relevância dado o contexto político e econômico nacional.

 

Em decorrência dessa nova lógica, a newsroom do Rio de Janeiro será desativada, sem prejuízo à cobertura. As mudanças incluem a readequação de programas, assim como da grade. O selo CNN Soft será remodelado para 2023.

 

Aos colegas que deixam a empresa, manifestamos o nosso profundo respeito e gratidão. A dedicação e o trabalho de cada um foram fundamentais para a construção e consolidação da CNN Brasil.

 

Decisões como essas exigem coragem, determinação e visão de futuro. As mudanças irão adequar a empresa ao novo cenário da indústria de mídia e abrirão espaço aos investimentos necessários para seguir entregando o jornalismo independente, relevante e de alta qualidade, marca registrada da CNN.

 

Este é o nosso compromisso com todos os colaboradores, com o mercado e com os milhões de brasileiros que confiam na CNN Brasil para tomar as melhores decisões”.