A ascensão política de João Azevêdo: de técnico a porta-voz do Nordeste; por Ângelo Medeiros

A ascensão política de João Azevêdo: de técnico a porta-voz do Nordeste

Para muitos, João Azevêdo era considerado um técnico ocupando a função de governador do Estado graças ao apoio de seu antecessor, Ricardo Coutinho, hoje, desafeto político. Mas, essa falsa tese, que teimava em persistir no pensamento de alguns, acabou definitivamente no dia 30 de outubro deste ano, por volta das 19h30, quando a Justiça Eleitoral anunciou a reeleição do atual Chefe do Poder Executivo da Paraíba.

João Azevêdo apresentou em seu primeiro governo uma gestão austera, marcada pelo equilíbrio fiscal e capacidade financeira, que elevou a Paraíba à categoria de Estado “Rating A” – nota máxima na avaliação da sua capacidade de pagamento junto à Secretaria do Tesouro Nacional (STN) -; bem como pelos investimentos em todo o Estado, e forte combate à pandemia.

Mas, ainda faltava o resultado da carreira solo de político nas urnas.

E, João conseguiu vencer uma das eleições mais difíceis da história recente da Paraíba. Enfrentou quatro fortes concorrentes no primeiro turno, e impôs uma superioridade numérica de mais de 343 mil votos. Depois, quando todos os opositores se juntaram, com a exceção de Nilvan Ferreira que optou pela neutralidade, ele conseguiu sair vitorioso nas urnas com quase 120 mil sufrágios.

Para ver o tamanho desse crescimento, João conseguiu superar as grandes oligarquias desse Estado, as Famílias Cunha Lima, Vital do Rêgo, e Morais, bem como a forte presença do Bolsonarismo e até do ex-governador Ricardo Coutinho, que todo mundo sabe que não votou no atual governador, pelo contrário, trabalhou contra, nos bastidores.

O técnico mostrou por A mais B que é hoje um ser político, habilidoso e de bom trato. Que o fato de ter sua origem profissional, fora da militância política, não diminui em nada sua capacidade de articulação, muito pelo contrário, agregou valor.

Certamente que, foi devido a sua habilidade política, que envolve o estreitar de laços, o diálogo franco e direto, e a cordialidade, que fizeram João obter o reconhecimento dos demais chefes dos Estados nordestinos, que o elegeram presidente do Consórcio Nordeste de Governadores.

Ou seja, foi o governador paraibano o escolhido para ser o porta-voz do Nordeste junto ao Governo Federal no primeiro ano de Lula no Planalto, representando a região que simplesmente deu a vitória ao presidente da República eleito.

João Azevêdo,é governador da Paraíba reeleito

FONTE 83/VAVADALUZ