João Azevêdo abre 35ª edição do Salão do Artesanato Paraibano e destaca homenagem aos indígenas

João Azevêdo abre 35ª edição do Salão do Artesanato Paraibano e destaca homenagem aos indígenas

WhatsApp Image 2023-01-13 at 21.29.12.jpeg
WhatsApp Image 2023-01-13 at 21.29.12.jpeg
WhatsApp Image 2023-01-13 at 21.29.26.jpeg
WhatsApp Image 2023-01-13 at 21.29.13-2.jpeg
WhatsApp Image 2023-01-13 at 21.29.13.jpeg
WhatsApp Image 2023-01-13 at 21.29.25-2.jpeg
WhatsApp Image 2023-01-13 at 21.29.25.jpeg
WhatsApp Image 2023-01-13 at 21.29.23.jpeg
WhatsApp Image 2023-01-13 at 21.29.21.jpeg
WhatsApp Image 2023-01-13 at 21.29.20.jpeg
WhatsApp Image 2023-01-13 at 21.29.19-2.jpeg
WhatsApp Image 2023-01-13 at 21.29.19.jpeg
WhatsApp Image 2023-01-13 at 21.29.18-2.jpeg
WhatsApp Image 2023-01-13 at 21.29.18.jpeg
WhatsApp Image 2023-01-13 at 21.29.16.jpeg
WhatsApp Image 2023-01-13 at 21.29.15.jpeg
WhatsApp Image 2023-01-13 at 21.29.14-2.jpeg
WhatsApp Image 2023-01-13 at 21.29.14.jpeg
WhatsApp Image 2023-01-13 at 21.29.12-2.jpeg
Fotos: André Lúcio

O governador João Azevêdo abriu, no início da noite desta sexta-feira (13), a 35ª edição do Salão do Artesanato Paraibano, que será realizado até o dia 5 de fevereiro em uma megaestrutura montada na Orla da Praia de Cabo Branco, em João Pessoa. Com o tema “Artesanato Indígena”, uma homenagem aos povos originários, representados no Estado principalmente pelas etnias Potiguara e Tabajara, o evento é realizado pelo Governo do Estado e Sebrae-PB, e conta com um número recorde de participantes. Ao todo, 537 expositores trazem para o Salão as mais diversas tipologias, representando a mais autêntica produção artesanal paraibana.

Ao lado da primeira-dama do Estado e presidente de Honra do Programa do Artesanato Paraibano (PAP), Ana Maria Lins, e de autoridades, como o vice-governador Lucas Ribeiro, e o prefeito da Capital, Cícero Lucena, o chefe do Executivo estadual percorreu todos os estandes e conversou com vários expositores. Na solenidade de abertura, 60 Indígenas da etnia Potiguara realizaram a Dança do Toré, um ritual sagrado dos índios.

Na ocasião, João Azevêdo destacou a importância da homenagem à cultura indígena. “É um momento de a gente entender que a nossa sociedade precisa ser mais justa com determinados segmentos. É uma alegria muito grande — essa ideia surgiu ano passado quando eu tive a oportunidade de conhecer parte do artesanato indígena” disse.

“Os povos originários mereciam mais que este Salão. É uma forma de o Governo do Estado demonstrar respeito por quem luta para preservar não apenas a cultura, mas também determinados espaços”, continuou.

Ao lado da esposa, Camila Ribeiro, o vice-governador Lucas Ribeiro ressaltou que o 35° Salão do Artesanato ocorre em um momento importante de João Pessoa. “A cidade está extremamente movimentada — e o Salão é um evento importante para a economia, para a nossa cultura. Além disso, temos a valorização dos povos originários, e precisamos preservar a nossa história”, comentou.

O prefeito Cícero Lucena disse que o evento é mais uma oportunidade de desenvolver o artesanato paraibano. “João Pessoa é a cidade criativa da Unesco. É um evento que vai nos proporcionar conhecer a cultura indígena e também a oportunidade de boas vendas para os nossos artesãos”.

Já a primeira-dama do Estado e presidente de Honra do PAP, Ana Maria Lins, disse que as expectativas são as melhores. “Estamos no primeiro dia, e já é possível ver todo esse espaço lotado. Tenho certeza de que este será um dos maiores Salões já realizados, com essa grande homenagem aos nossos indígenas”, disse.

A secretária de Estado do Turismo e Desenvolvimento Econômico (Setde), Rosália Lucas, ressaltou a importância socioeconômica do Salão do Artesanato Paraibano. “Nesta edição, tivemos um recorde de inscritos. Uma grande oportunidade de todos os artesãos, artesãs, exporem seus produtos, venderem diretamente para os consumidores, gerando renda e movimentando a economia”, observou.

Já a gestora do PAP, Marielza Rodriguez, expressou sua alegria pela realização da 35ª edição do Salão do Artesanato Paraibano. “Cada Salão tem o seu lado especial, seja pelo tema ou por todo o engajamento de nossa equipe, que se renova a cada edição — sem o apoio do governador João Azevêdo e da nossa presidente de Honra essa renovação não seria possível”, evidenciou, também destacando a homenagem feita aos povos indígenas e agradecendo aos mais de 500 artesãos inscritos.

A secretária de Estado da Mulher e da Diversidade Humana, Lídia Moura, enfatizou que, ao homenagear os povos indígenas, o governador João Azevêdo renova a marca da inclusão. “Esta homenagem foi pedida pelos indígenas como uma forma de aumentar suas vendas, a valorização da cultura indígena. De imediato, foi atendida pelo governador João Azevêdo”, observou.

O superintendente do Sebrae-PB, Luiz Alberto Amorim, por sua vez, desejou boa sorte aos expositores. “Parabenizar a equipe do Sebrae e a equipe do Governo do Estado por este excelente evento. Quero, ainda, desejar boas vendas aos nossos artesãos, com produtos de qualidade impecável”, concluiu.

A solenidade de abertura da 35ª edição do Salão do Artesanato da Paraíba foi prestigiada por diversas autoridades, a exemplo da deputada estadual Pollyanna Dutra, que representou a Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), além da senadora Daniella Ribeiro e do vice-prefeito de João Pessoa, Léo Bezerra.  Auxiliares da gestão estadual, como o secretário da Comunicação Institucional, Nonato Bandeira, e a presidente da Empresa Paraibana de Turismo (PBTur), também estiveram presentes.

Brasilidade ‐ O artesanato indígena é a mais pura expressão da produção artesanal brasileira. Ele está presente em praticamente todas as etnias, já que os indígenas utilizam a habilidade para confeccionar utensílios e adornos.

A maioria dos produtos é elaborada com materiais retirados da própria natureza e que estejam em abundância na região. Cestaria, cerâmica, entalhe em madeira, montagem de bijuterias com sementes e penas são os mais produzidos a partir da técnica de trançados em fibra.

Serviço 

35° Salão do Artesanato

Tema : Artesanato Indígena

Período : 13 de janeiro a 5 de fevereiro

Horário : das 15h às 22h, todos os dias da semana

Endereço : Orla Marítima de Cabo Branco, após o antigo Jangada Clube

Realização : Governo do Estado e Sebrae

Deixe um comentário